Top

Exercícios isométricos: você sabe o que são?

Existem alguns tipos de contrações musculares diferentes: isométricas, isotônicas e isocinéticas. Cada uma delas tem um objetivo diferente e, neste artigo, vamos falar sobre os exercícios isométricos que favorecem esse tipo de contração muscular.

Você sabe o que é? E quais exercícios favorecem a contração isométrica? Se não sabe, leia esse post e descubra!

O que são exercícios isométricos?

Se separarmos a palavra “isometria” para analisar o conceito, temos que “iso” significa igual ou constante e, “metria” significa comprimento. Só com esses significados já é possível entender um pouco do conceito de exercícios isométricos, mas vamos explicar melhor.

Em resumo, o tipo de contração muscular isométrica, é aquele em que os músculos desenvolvem a tensão, mas permanecem no mesmo comprimento externo. Ou seja, não há alteração no ângulo das articulações, mas mesmo assim, o músculo se contrai e faz força. Por conta disso, outro nome dado para a contração isométrica é contração estática.

Os exercícios isométricos são utilizados, geralmente, como uma forma de tonificar e fortalecer os músculos complementarmente. Isso porque eles não desenvolvem tanto os músculos como um treino de exercícios com halteres por exemplo. No entanto, eles são focados na ativação neuromotora e são muito recomendados quando combinados com outros exercícios ou então, para casos de pós lesões.

Quais são os benefícios dos exercícios isométricos?

Se praticados corretamente, os exercícios isométricos trazem diversos benefícios. O primeiro deles é que, por serem praticados de forma estática, o risco de lesões musculares são menores do que os outros exercícios que exigem muita movimentação. Contudo, é importante lembrar que, caso a postura na hora da prática estiver desalinhada, ele pode sim ser lesivo aos músculos.

Desconsiderando os casos em que são contraindicados, esses exercícios também podem trazer:

  • Fortalecimento dos músculos;
  • Melhora na postura e no alinhamento da coluna;
  • Prevenção de lesões musculares;
  • Fortalecimentos dos tecidos adormecidos nos músculos isolados;
  • Reabilitação de lesões anteriores;
  • Fortalecimento dos ossos;
  • Aumento na potência e na resistência muscular;
  • Maior ativação da maioria das unidades motoras nos músculos;
  • Diminuição dos riscos de doenças cardiovasculares.

Quando não praticá-los?

Conforme mencionamos, os benefícios acima são em relação somente aos casos em que se excluem as contraindicações. Mas afinal, como saber se você não pode praticar os exercícios isométricos?

A resposta é: tenha certeza que você se enquadra nos pré-requisitos e, é claro, consulte um médico antes de começar a praticar. De forma geral, não podem praticar os exercícios isométricos:

  • Crianças;
  • Idosos;
  • Pessoas sedentárias;
  • Pessoas fumantes;
  • Hipertensos.

Essas contraindicações se dão por conta do aumento da resistência vascular periférica de forma generalizada. Esse aumento da resistência vascular, resulta num aumento também, da pressão sanguínea, gerando uma sobrecarga de pressão no coração, o que pode ser muito perigoso nos casos que citamos.

Sendo assim, se certifique de que você não se encaixa nesses casos e, se houver alguma dúvida, consulte um médico para que ele possa te liberar ou não para os exercícios isométricos!

Quer mais dicas de exercícios físicos como esta? Aqui no blog estamos sempre atualizando os posts com os melhores conteúdos sobre uma rotina saudável. Acompanhe!

Share
No Comments
Add Comment
Name*
Email*